Publicado por: unknown | julho 8, 2015

Café & Arte

Rua Cônego Siqueira, 03 / Centro – Cunha, SP

link

CRÍTICA – por Ivan Monteiro (ciceroneado por Máximo Poder Terceiro)

Quando a gente via viajar com a camaradagem tudo é motivo para parar numa calçada e tomar aquela gélida. Agora quando o objetivo da viagem é esse, significa que a porra ficou séria. Mas, como até os melhores bebedores (alguns diriam principalmente os melhores) precisam forrar o estômago, foi assim que esse lugar se aproximou do meu brother e de mim. Segue daí, maestro:

“Apesar do ar um mezzo metido/mezzo cafona do nome, o Café & Arte (sim, com &) está bem localizado e tem bom atendimento. As comidas são irregulares (o caldo de feijão preto tinha sabor da colher com que o consumia, mas o caldo de shitake estava fantástico), mas todas têm cara de feitas na hora, e o preço é bem razoável. Para balancear o caldo insosso, pedi que me trouxessem uma unidade da iguaria nacional”.

Crosta

Crocante no ponto certo, com todos os indicativos de ter sido envolta em farinha de rosca de verdade e frita em óleo limpo. Com toda a fachada, pompa e circunstância de um candidato ao posto de “The one true acepipe” (note o prato alla azulejo português e os talheres oversized), essa coxinha apresentava aparência dourada e apetitosa.

Massa

Fui surpreso (positivamente) pela massa de batata macia, cozida no ponto certo. Também fui surpreso (negativamente) por sua falta de sabor: muito pouco sal e nada do caldo de galinha. No entanto, foi impressionante notar como a massa estava distribuída na proporção certa, homogeneamente nas laterais e com apenas um pouco mais de concentração na base.

Recheio

A única opção era a coxinha tradicional, sem catupiry nem nada. O recheio veio em boa quantidade, preenchendo homogeneamente todas as partes do acepipe. O frango não fora muito bem desfiado, mas entre pedaços e fios, salvaram-se todos.

Tempero

Salsinha, um pouco de tomate, pimenta-do-reino, possivelmente um pouco de coentro e um nadinha de mostarda. Ponto negativo para a falta de sal – a essa altura, começava a pensar que se tratasse de uma tentativa de coxinha “saudável”.

Avaliação geral – 7  (Ótima opção para quem estiver na cidade pesquisando os ateliês de cerâmica)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: